terça-feira, 5 de agosto de 2008

Novidade


O tempo faz verdadeiras mágicas. Ando me reencontrando com alguns antigos conhecidos que com o passar deste “Voraz ilusionista” foram se perdendo por ai, ou eu que fui me perdendo deles. Enfim. Não sei, só sei que fiquei surpresa como eles tinham mudado. Pra melhor, bem melhor. Agora eram pais, mães, magros, todos seguindo suas vidas, cheios de novidade, de planos. Então eu pensei: “eu não mudei nada, eu to igual”, e isso me fez ficar péssima. Eu sei que cá pra dentro ta tudo muito diferente, deixei de ser muita coisa, egoísta, mentirosa, compulsiva, indecisa (este ultimo principalmente), imparcial. Descobrir que tudo tem dois lados, seja isso bom ou ruim, não importa. Você tem que escolher um. Também deixei de ser depressiva para os meus amigos que tanto me reclamavam isso. Deixei de cobrar dos outros e passei a cobrar mais de mim e isso tudo eu to achando ótimo, perfeito. Descobri uma sinceridade espontânea e também que falar o que acha sem maquiar as palavras nos dá uma epidêmica credibilidade. Mas é pouco, não é uma mudança visível como foi a dos meus "queridos antigos conhecidos perdidos", que eu encontrei novamente. Da pra ver um colorido natural ao redor deles. Uma atmosfera de felicidade contagiante. Fiquei muito feliz por eles, mas frustrada por mim. Eu ainda não senti essa deflagrada felicidade, nem sei como é. Não sou triste, não. Sou bastante alegre inclusive, e tenho um don ótimo para arrancar sorrisos das pessoas, mas a felicidade plena e indissolúvel eu desconheço.
Adorei poder testemunhar o momento deles, tão queridos que são, cheios de luz, de cor. Foi bom pra mim, uma nova energia, vontade de conquistar novos trunfos e objetivos. Desejo de ser uma grande e belíssima novidade, assim, como eles foram.

5 comentários:

Luanda Moura disse...

Já diria Roberto Carlos: "Daqui pra frente, tudo vai ser difereeeente"... [só pra descontrair]
A verdadeira mudança é a interior, e é essa que você está buscando. Carro novo, dez quilos a menos, emprego diferente, casamento; são mudanças de embalagem. Esses, provavelmente, ainda cantam "Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais".
Não é a sua música.
Mil beijos

Alê Raposo disse...

Fico com o que Luanda disse!!!

"Deixei de ser muita coisa, egoísta, mentirosa, compulsiva, indecisa deixei de ser depressiva, deixei de cobrar dos outros e passei a cobrar mais de mim. Descobri uma sinceridade espontânea e também que falar o que acha sem maquiar as palavras nos dá uma epidêmica credibilidade."


Como você mudou...

Kari disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

Kari disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.