quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Antes do fim.

Hoje sentiu raiva do mundo.
Depois sentiu raiva de ter sentido.
Não procurou saber dos seus defeitos, suas virtudes defeituosas.
Hoje viu as pessoas que cantam sem querer,
Que bebem sem querer, que riem sem querer.
Que não choram para não estragarem a cara.
Acha que tem um pouco de tudo isso.
Amou tanto e agora está só,
Arrependido de só querer.
De dar tão pouco achando estar dando muito.
De não tomar conhecimento de tudo que passou... Erros.
Pouca coragem para ir até o fundo,
Porque o fundo é o final,
E ainda quer sorrir, chorar, gozar, xingar.
Andar livre de braços abertos.
Aproveitar os momentos que não passou,
Todos os desejos que não sentiu.
Gritar... Porque a vida é um grito.
Quer amar até o fundo sem ter medo.
E não acabar antes do fim.