segunda-feira, 20 de julho de 2009

Entre amendoins...

Cerveja. Whisky. Cigarros. Jogos. Os diálogos destorcidos da realidade. Observava aquilo tudo como se não estivesse ali, sentada na mesma mesa, compartilhando daqueles olhares e das idéias loucas. De certa forma não estava. Não participou das brincadeiras, da embriagues lenta, do fumo. Sua cabeça flutuava para longe do corpo, sem precisar de auxílios terceirizados, suspensa no ar pelo carbono liberado das bocas presentes, a mente perdida no desequilíbrio. Olhos submersos, cabelos oleosos, bocas abertas, dentes, palavras soltas caindo sobre o chão gelado, voando ao vento, desnorteadas. Narizes guiando perfis, cabeças redondas, ovais, brilhantemente estúpidas. Começou a rir. Não queria, simplesmente, foi mais forte. Não ria deles, não, de jeito nenhum. Ria por eles. Da decadência, das depressões, dos impropérios e confusões que podia enxergar do topo de sua lucidez, sem sentido ou fundamento. O corpo presente contradisse a mente perdida. Reflitiu em meio há gargalhadas desatentas: Sou insegura. Acho que se agarrar ao amor é ruim, muito ruim. O amor atrapalha a sensatez. Nesse momento estava absolutamente afastada deles, longe, nem os ouvia mais. Impressão das ligações se desfazendo. Os elos se rompendo. Pensou onde queria estar, se transportou. Enviou mensagens de desejo, suas vontades, para quem as dedica. Imaginou-o recebendo seus pensamentos e o que achava daquilo. Fortes impulsos espontâneos. Não está querendo um homem elementar, físico, mas o que causa o seu amor sensual, o que ama voluptuosamente e de muitas outras maneiras, como quando ele ri, ou conversa calmamente, quando a insita, quando a deixa insana, louca de desejo, quando fala das realidades... Ama sua sensibilidade, sua essência de ansiedade e exaltação. Quer tê-lo, calmamente, sem angustias, paciente... Não é sentimental demais, nem estava bebada, sabe que excesso faz mal, em todos os sentidos, porém acha todo esse querer muito natural. Hoje sua falta de grandes experiências pareceu muito boa, deixou-a feliz, pois toda sua intensidade ficou guardada. Pode se entregar agora, neutra, carente, liberta... Nenhuma droga conseguiria ser mais potente.

25 comentários:

Nilson Barcelli disse...

"Não é sentimental, nem estava bebada, sabe que excesso faz mal"

"Nenhuma droga conseguiria ser mais potente"

A aparente contradição entre estas duas frases, tal como outras partes do texto, enriquece bastante a sua narrativa.
Ainda que o amor atrapalhe a sensatez... vc não se atrapalha e segue muito bem o fio condutor que liga todo o desenvolvimento do texto.

Parabéns querida amiga, o seu texto é magnífico.

Beijo.

Melanie Brown disse...

Hummmm que massa cara, solbe muito bem escrever aqui o "uoorrr" do teu fim de semana,o meu foi muiiitxoO bom apesar do PESADELO, sim aquilo foi, eu ri muutio com tua gargalhada kkkkkk.Show do rappa no sabado e domingo mpb durante o dia num lugar tranquilo,que nao conhecia, aproveitei!
O texto da senssacional, meus parabens!1
:D

Katy disse...

É verdade, a certeza é a droga mais poderosa!...rsrs...
E a entrega é algo delicioso...
Feliz Dia do Amigo.
Ótima semana!
Bjs.

Anjo vermelho disse...

Feliz dia do Amigo ^^

e baita escrita hem.. essa droga so nao te cura como vicia.


beijos linda!!
otima semana!!

Olavo disse...

Tem selo para vc lá no blog
Boa semana
Beijos

Renata Braga disse...

"Sou insegura. Acho que se agarrar ao amor é ruim, muito ruim. O amor atrapalha a sensatez."

Se mais a dizer.

Bejoss amore!

Nike disse...

Maravilhoso seu texto!
Parabéns..
Aproveitando quero lhe desejar um feliz dia do amigo!
Adoro vc!
Beijos

Melanie Brown disse...

Ah!!É verdade flor!!!
Um super -'FELIZ DIA DO AMIGO-'
Pra voce também!!! :D

Aii ai ainda perco a mania de escrever rapido, nao reler nada,
Não acentuar as palavras e sair postando comentarios por aíí!!
Desculpe os errinhos de portugues da amiga aki! :8)
bjOoOO'

Sandrita disse...

Agarrar-se ao amor não é amar.
O correcto é estarmos abertos para que o amor se agarre a nós.
É ele quem tem que se esforçar para que o queiramos, não nós que temos que nos matar para que ele nos aceite.

Adorei o texto, muito bem (d)escrito.

beijo flor*

Fabricante de Sonhos disse...

Brilhante, menina!
Passou exatamente todas as emoções da personagem...
A inquietude, a distância, a lucidez, aflta de alguém, o desejo... e toda a viagem!

Belíssimo texto...

Quer saber? Conconrdo com ela quando diz:"Nenhuma droga conseguiria ser mais potente"

Tenha uma semana de LUZ!!!!

Ah! Feliz dia do AMIGO!!!!

Beijo nesse coração bonito!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

O amor deixa qualquer um louco, até com aqueles que pensam que controlam tudo. Essa droga, além de ser a mais potente, não maltrata quando é injetada na veia certa de um sentimento.

Ah Érica, você escreve lindo, menina!

Feliz dia do amigo!

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

AC Rangel disse...

Érica
Vc transpira sensualidade, celebra o amor, cultua o sexo como poucas.Vc prende a atenção, transporta e domina nossos desejos.
Como ninguém.
Beijo

paula barros disse...

Ah, Érica, você escreve maravilhosamente bem, vai desenvolvendo o texto, desenrolando sentimentos, projetando o leitor no texto.

Pensando o amor como uma droga...ele faz levitar, ele faz sorrir, ele faz chorar, ele aumenta a adrenalina, ou a endorfina, ele acelera o pensamento, o poder de imaginação, as fantasias, o desejo....esse ele citado no texto é um coquetel que provoca tudo isso.

abraços com carinho

Aninha disse...

Nada como a lucidez para nos proporcionar os melhores momentos!!!!

Linda amo seus comentarios... e amo vir aki


bjks

Aninha disse...

PS: Feliz dia do Amigo!!!

Salve Jorge disse...

Existe uma droga
Para quem roga
Tal qual o que se afoga
Por vertigem mais caudalosa
Mas aos afeitos à prosa
O tempo lentamente posa
Como pena que pousa
Muito embora
Se um pouco mais ousa
Arranha a lousa
O mundo lá fora
Se dobra ao teu agora
E um homem que te devora
Implora
Sua bossa...

P.s - Fiz um belo passeio por vários anteriores que eu nao tinha lido.. É rica tua semântica.. :)

A Magia da Noite disse...

Há várias drogas, e nem todas são tão nocivas quanto aquele que as transforma em suas heroínas.

Aline Dias disse...

Agora, eu sei, que eu quero ser segura!

Marcos Campos disse...

Olá Erica!
Muito bom o texto!
Obrigado pela visita!
Beijo!!

i ILÓGICO disse...

adorei!!!!
as partes que falam da lucidez, do observar sem terceirização....
ótimooooo


beijo-te


apareça com mais tempo.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Érica,

E quando o desejo vem com fome, não alivia nada, só castiga.

Cada palavra sua é muito bem temperada... adoro saborear esse seu carinho, viu?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

. fina flor . disse...

rsrsrs*, sim, o amor atrapalha a sensatez, mas que graça tem ser sensato o tempo todo?

beijos, querida

MM.

Me, Myself and I disse...

..e no meio de tanta gente , encontrei voce , segura de si , invertendo o caminho da normalidade , pousando de Norte para uma Alma perdida .
Absurdos de lado , aqui é tudo o que sonhei .
Beijo

Poetíssima disse...

Menina, eu amei isso aqui.
Incrível... às vezes sou assim também. Perfeito. Amei.
Abraços!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Érica,

Roupa nova tem cheiro de "Dona". Eu tinha uns 10 anos quando essa música fez sucesso em "Roque Santeiro."

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-