quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Um vento frio passou
Abrindo a pele em rachaduras,
Superfície dos desejos escondidos.
Afinidades brotaram pelas
Frestas corrompidas do tecido.
Composição de mistério e curiosidade
Que na mistura colorida
Esquentou os sentimentos de afeição.
Carinho mútuo em instantes
De palavras soltas,
Versos de sintonia.
Saudade nascendo de canções
Canções projetando ilusões
De corpos a meia luz de um sol poente...

35 comentários:

Renata Braga disse...

Ai ai... ja imaginei tudo... canções, saudade... corpos a meia luz...

Realmente, a inspiração veio... e cheia de poesia...

Lindo!

To suspirando!

Bejooo linda!

Babih Xavier disse...

Lindo texto *-*
amei o blog \o

Poetíssima disse...

Nossa...
o texto foi aquele tipo: 'leia e leia e leia'..

quanta saudade de te ler!

Abraços!

HSLO disse...

Gostei desse texto...muito bom.

Abraços

Hugo

Dilberto L. Rosa disse...

Infelizmente, não fui o primeiro... Também não devo ser o último! Mas posso dizer muito mais do que "gostei" e "amei", porque a forma de sentir é totalmente diferente... O ritmo por sobre as palavras e a continuidade dos sentimentos num crescente é coisa muito gostosa de ler e, mais ainda, de sentir!

Pelas frestas tão pequenas, tão despercebidas, tanta coisa pode acontecer, não é mesmo? Ainda mais quando se deixa o poente banhar tudo com sua luz dourada por entre frestas de persianas... Perfeito: sem final, sem preocupação, sem filmes franceses nos dizendo como é o amor e sem juízo ou sem razão!

Iludamo-nos com instantes de palavras soltas neste louco mundo virtual sem amanhãs... Com açúcar e com afeto, um belíssimo deleite em forma de poesia contínua...

Beijo grande, minha cara poetisa à flor da pele!

Thiago disse...

lindo poema,
....um vento frio que provoca arrepios, ao te ler.
Bonita postagem.

Lorena N. disse...

tuas palavras mexeram comigo.

exoticlic.com disse...

oie friend achei seu blog fuçando por aí tu escreve lindamente bem, li o post debaixo e é foda tem mta gente que adoro roubar criatividade alheia pra evitar isso coloque um codigo que bloqueia o botão do mouse e tbm o CTRL C né...

Aninha disse...

q belas palavras flor!
palavras q só vc sabe juntar dessa forma tão linda!


Bjks

(To com saudades de vc lah)

Alisson da Hora disse...

Senti o suave frêmito do vento... Você foi no meu blog mal-humorado...nem viu meus poemas, no meu blog mais sisudo...hehehe

http://pontispopuli.blogspot.com

abraços, recifense!

Té la mà Maria - Reus disse...

very good blog congratulations
regard from Reus Catalonia
thank you

Sun disse...

As tuas palavras movem montanhas.
Hoje é isso que tenho a dizer.


beijo querida ^^

Sun disse...

Pois é, amor, nós só aprendemos com as "porradas" que a vida nos dá. Se ela somente nos acarinhasse, julgo que estaríamos ainda mais longe da tal felicidade absoluta que tanto procuramos hoje.
São coisas que doem, mas não podemos deixar que nos roubem as nossas energias, pelo contrário, é mesmo nas contrariedades que devemos buscar ainda mais forças, nos tornarmos mais resistentes e mais confiantes em nós mesmos. Pois, quer queiramos quer não, nós estamos sozinhos. Existem provas que ninguém pode ultrapassar no nosso lugar.

Qualquer coisa, tu sabes onde me encontrar :)

beijo grande*

Eurico disse...

Puxa Érica, que belo texto! Poesia da melhor qualidade.

Estou curioso com teu sobrenome. Conheço uma família Colaço que morou há muito anos na Vila dos Bancários...
Bem... de qualquer forma, muita paz pra ti.

Abraço fra/terno.

N. Mylonas disse...

Eu sinto tanta falta do tempo q eu conseguia escrever poesias.
E eu li o post abaixo.
Bom, escrevi outro post sobre isso.
Ngm merece esse povo né ?

beiijos

Leh disse...

Eita, lendo esse texto lembrei de um certo professor! Qual é relação?? rsrsrsrsrss bincadeira. Beijos

atma atom disse...

Olha, não te rales se outros copiam o que escreveste... se o fizeram, é porque gostaram, toma-o como um elogio... e dialoga com eles, só isso.

Mais tarde ou mais cedo, os tiranos soltam a máscara.

Boa sorte para ti.

Kari disse...

Lindão esse poema.
Consegui visualizar o sol, o poente, uma canção e uma saudade daquelas!

Beijo pra tu

meus instantes e momentos disse...

bonito de ler. Um poema com o teu jeito,com o teu modo de ver a vida.
Muito bom Erica, muito bom.
Maurizio

Aninha disse...

Oi lindaaa!
O importante eh q vc esta bem!!! Faz parte sumirmos as vezes, rsss. Ainda mais uma pessoa tão atarefada qnt vc! Rsss

Mas eu estarei sempre por aki, e vc sempre sera bem vinda lá!!!
Bjks

Ju Braga disse...

Ai, esse tá lindo mesmo, me deu um nó, uma saudade de sei lá o que... Deve ser de tu... Quantos sois não já se puseram diante daquele brilho imaturo que a gente tinha no olhar? Ai que saudade daqueles tempos...

Beijos, gata...

paula barros disse...

Mistério e curiosidade é sempre uma boa composição, a abertura de frestas, de buscas, de encontros...

Gostei muito.

beijo

Marco disse...

Olá, Érica.
Vim retribuir a sua amável visita ao meu guarda-louças de antigas emoções. Muito bom seu blog, seus textos...
Sobre o plágio que você sofreu, já fui no blog da moça deixar um apelo à razão. Espero que ela reflita e caia em si, dando-lhe o devido crédito.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

menina fê disse...

desejos escondidos sempre revelam um outro "eu" de cada um!


bjão da fê =D

Rafael disse...

Bela composição, Érica!
Gostei bastante...
bjs

A Magia da Noite disse...

o pôr de ul sol será sempre um momento de magia que marca a transição entre a noite e o dia.

Marcos Campos disse...

Que bonito!!
Momentos de inspiração...corpos de meia luz de um sol poente...superficie dos desejos escondidos...
Invertendo, lendo do fim para o começo fica bem legal também...
Beijo!

Maluco do Pão disse...

sensações latentes...

L. disse...

Olá,
Tô fazendo um concursinho de 1 ano de blog lá no meu muquifo. Poderia divulga-lo aqui?!
Um beijo,
L.

Leo Mandoki, Jr. disse...

aquele texto que vc gostou...talvez pudesse terminar assim com as tuas palavras...como "saudades nascendo de canções..projetando ilusões"..já não seria um final francês.
beijocas

Anjo vermelho (a origem) disse...

vc ta marvilhosa como sempre... erica!!

vollteiii...o outro blog deletou ainda nao descobri a razao o certo.

senti saudades dii vc flor!!

beijos enormeeeeess....

Melanie Brown disse...

Érica querida foi sim sem querer!!Foi somente um desabafo, coisa rapido, se nao escrevesse explodiria, a mais ou menos um mes escrevi aqui no meu nada organizado bloquinho, aí quando li ontem achei que fiocu legal e postei!! Nossa faz tanto tempo assim?!!So demoro pra escrever, mas todo hora entro e passeio pela blogosfera comento e tal, voce que nao estava tao assidua! rsr, é que so gosto de postar coisas minhas, quando coloco palavras que nao sairam de minha cabeça, nao fico tao satisfeita assim, por isso vai ficando sem novas postagens...E voce ta tudo bem?!!

"Saudade nascendo de canções
Canções projetando ilusões
De corpos a meia luz de um sol poente..."

-'Simplesmente maravilhoso!!!!

Isabella F. disse...

Lindo demais *.*

Alê Quites disse...

e, tantas cores misturadas a palavras.

BeijOS

Eurico disse...

Grato pela visita. E não sei o primeiro nome dele, do meu instrutor em Mecânica de Tanques de Guerra, isso foi em 1974, no Pq de Motomecanização, em Casa Forte. Só o conhecia por Sgt. Colaço. Gente finíssima! Ali não era um quartel, era uma família, um oásis de paz, em plena ditadura.

Bem, se teu avô era militar, então é ele.

Fica em paz. E um fra/terno abraço.