sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Quase tudo...



Um mistério
Envolvente.
Me leva...
Um jeito de se mostrar
Preservado,
Mas sem se esconder,
Sem medo de ser.
A intimidade que quer,
Do jeito que quer,
Sem invadir, sem arranhar.
O silêncio de quem observa,
Pra encontrar o que valha,
O que prenda.
Minha curiosidade maior.
Meu desejo maior.
Sabe das palavras
E seus efeitos colaterais.
Certas,
Cada uma em seu lugar,
Um passo após o outro, sincronizado.
Um balé bem ensaiado,
Dentro de mim.
Percorrendo meus espaços,
Pensamentos.
Ele é assim, simples assim.
Sem forçar.
Sabe que não vou me assustar,
Que não vou achar ruim,
Sabe o que espero,
Sem eu ter que dizer.
Tudo que quero sem nem saber.

17 comentários:

Renata Braga disse...

Sem medo de ser, sem invasões, sem arranhões, sem grilhões...


Desejos esses que tu sabe bem colocar em palavras...simples,puras e lindas.

Quando alguém nos descobre, nos desvenda assim... não existe escapatória... somente a entrega..

Deixar-se levar...

Bejooooo querida!

*Além de poetisa é uma desenhista de mão cheia.... precisa mais?

Alisson da Hora disse...

Os efeitos colaterais...sempre eles...

! Marcelo Cândido ! disse...

gosto do seu cantinho...
belas palavras

abraço
! ! !

HSLO disse...

Adorei o texto...ótimo.

abraços


Hugo

Salve Jorge disse...

Tanto sabe
Que em palavras nao cabe
Nem na amplitude da frase
É mais que base
É mais que dois
E depois
De tanto crime atrós
Cá para nós
Pra que sós
Se pó
É o nó
Inevitável da vida
E se há de ser cinza
Não se faça ranzinza
Busque a cor
Esse sábio sabor
De quem sabe mais do que se há pra saber...

Dilberto L. Rosa disse...

Desenho envolvente como o abraço representado... E o poema envolve mais ainda, com versos ora soltos, ora compenetrados... Capazes de arrancar versos e mais versos e ilações de seus outros blogueiros de plantão... Surpreso com as homenagens aos Morcegos e a minha pessoa, obrigado pelo carinho e pela lembrança de sempre e sempre! Um abraço sincronizado e sem efeitos colaterais ruins!

Eurico disse...

Quando há algo para além das palavras ditas, aí estará a poesia...

Parabéns.

Abraço.

Nilson Barcelli disse...

Tudo é mais simples quando assim é...
Querida amiga, gostei do seu poema, belíssimo.
Bom fim de semana.
Beijo.

Eurico disse...

Érica,
apaga td q eu disse dias atrás sobre os Colaço, aqui do bairro. Mão era esse o sobrenome, e sim Calaça. rsrsrs Em sendo assim, era outra família.

Abraço fra/terno.

Mima disse...

Achei o blog por acaso e gosteei muito daki!! tudo muito lindo isso que escreves!!

parabens!

tô seguindo e estarei sempre por aqui!

beijinhos...^^

carlus disse...

também cheguei aqui por acaso
(se que é o acaso exista)
e descobri suas lindas palavras

"tudo o que quero sem nem saber"

é original e encantador esse seu lugar;

Lelli Ramz disse...

Oláaaaaaa


pq eu sei td, não pelo saber.. mas por sentir!

ameiii e jah estou t seguindoo

bjinhsu, mistérios e sensações

Lelli

Bia Maia disse...

Sem gelo!

É isto, doce menina!
SEU BLOG é FANTÁSTICO...
E como você é inteligente!
Uauuuuuuuuuuu!
Que texto lindo!
Meus parabéns!
Um beijo carinhoso !

Biazinha

Katrina disse...

só sei que é lindo *-*

Yasmin Lara disse...

Amei!
Simplesmente!

PS: Adorei a música que escolheu para o seu blog!

abraços
=)

Rafael disse...

Muito bonito, Érica!
E o desenho é seu?
Bjs

On The Rocks disse...

muito bonito, fofinha.

bj