terça-feira, 20 de outubro de 2009

Alvorada


- Não vives
Nem respiras
Sem mim:
Tu nem sequer gozas
Sem que eu diga que sim...!

- Por isso mesmo
Não me deixes,
Ne me quitte pás...
Agora que o Sol deu de brilhar
Vens me falar em despedida?...
(Logo tu, que tanto sabes do mar?...)

O mar reluz só, sereno, ao largo e ao léu
E eu, diante da imensidão risonha deste céu,
Sigo sem entender a lágrima de tua partida...

13 comentários:

Alisson da Hora disse...

"a imensidão risonha deste céu"

vez ou outra eu olho o céu e penso mais ou menos algo do tipo...

partidas, encontros e despedidas...

ó vida...

=***

Renata Braga disse...

Não vives... nem respiras sem mim:
Tu sequer gozas
Sem que eu diga que sim...!

Nossa!!!


Lindo.... nem preciso te dizer, que sempre fico meio boba, quando te leio...

Paixão e sensualidade... nossa...


Bejoooo minha linda poetisa...

Bia Maia disse...

Minha linda...

os pássaros tem de ser livres...se voltarem ...é por que tinham que voltar...

E...aproveitando que o sol está brilhando...saia para bater as SUAS asas...
beijos com meu amor!

Biazinha

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline Dias disse...

o escrito mais lindo que já li aqui. sabe aquele que é direto e rasga o peito. chorei!

Poetíssima disse...

Você é incrível!
Parabéns!
Passei por aqui!
Sempre volto nos lugares que gosto...
Estou esperando sua visita, entra e fica a vontade!
Abraços!

Canto da Boca disse...

Que lindeza de texto, eu li o Pessoa e a Sophia de Melo Breyner nessa bem traçadas linhas!


Um beijão, minha linda!

P.S.
Eu apaguei o coment anterior, pq faltou um N na palavra minha, risos.

Drunken Alina disse...

Sua maneira d eescrever é linda!

Beijos!

Sandra ' disse...

Aiiiiiii mulheeeeer, que músicaaaaa ! Meu Deus, como eu amo MPB ! Linda Linda Linda ! :') Torna tudo aqui ainda mais belo .


beijo querida ^^

Marco disse...

Érica,
seu poema é tão bonito que devia ser transformado em letra de música. Bastava só dar umas mexidinhas para colocar umas rimas e... voilá!
Parabéns! Muito bom!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Dilberto L. Rosa disse...

Acho que conheço este poema de algum lugar... E, de lá, alguém olha por ti e te entende e sente cada lágrima, cada dor e cada cheiro... Beijo grande!

Salve Jorge disse...

Você aí.. detida
Não veja ferida
Nessa partida
Não por serem assim
As coisas da vida
Mas pelo jardim
Já ter tanto carmim
QUe não carece compreensão
Seria vão
Carece largar desse chão
E cair no abismo de forma atrevida...

Alê Quites disse...

Muito bom, né!