quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Como quem chega do nada...


Sorrateiro, Ele se instalou. Deu um jeito de se aconchegar naquele Peito sossegado e permanecer cantarolando suas peripécias, suas virtudes congênitas, próprias das grandes personalidades! O Peito adorou e logo abraçou aquele inquilino tão cheio de histórias sem fim. Só que, como todo posseiro de vida, às vezes aparentava que em breve partiria, embora nunca tenha sido isso que o Peito quisera... Tratou Ele então de arrumar seus espaços, de um jeito tal que pelo menos 1/4 do cômodo ficasse eternamente ocupado com sua presença...

Não dizendo nada, Ele seguiu dormindo em cima de apreço, acordando embaixo de chuvas de entusiasmo e se alimentando de todo carinho daquele íntimo pulsar do Peito extasiado. Foi ouvido e admirado. O Peito, que sempre quis encontrar o que abrigar, dessa vez achou mesmo que o locatário havia se agradado daquele espaço e que iria viver ali por um tempo interessante... Mas, não: alguma coisa aconteceu; Ele não se sentia mais tão em casa, nem tão confortável nas instalações...

Vai andar, então, por vias que esse Peito confuso não encontra... O Peito já sente falta, mas sabe que vai esperar que Ele volte, mesmo que em temporadas de baixa estação, nem que seja só para se abrigar do frio que um dia ainda há de sentir...

13 comentários:

Canto da Boca disse...

Será que foram os tantos quilômetros que O cansaram? E o Peito não se disporia a andar por essas vias desencontradasmas que o encantaram? :(

Um beijinho para ti, boneca linda!

Hugo Simões disse...

Olá! Primeira vez que passo por aqui, simplesmente adorei seu blog e sua escrita.
Escreve muito bem!
Beijo. :)

Luciano Pfeifer disse...

Até quem sabe, que o verdadeiro dono desse peito resolva de lá, o expulsar.

Belo o teu espaço, Gostei daqui...
Bj carinhoso em ti, menina que sabe harmoniosamente dispor de palavras bem escritas.
Volto mais vezes.

On The Rocks disse...

pois é, essas coisas sempre acontecem...

bj

A Magia da Noite disse...

deixai voar, solto e sem compromisso ele vai voltar.

Fabricante de Sonhos disse...

Que lindo isso, Érica!
Como vc descreve bem os sentimentos...
O Peito espera... e Ele vem... Ah se vem!!!

Lindo!

Um beijo enorme!

Olha, agora to no Twitter tb: http://twitter.com/millaborges

Dilberto L. Rosa disse...

Teu espaço está cada dia mais bonito... Assim como estas tuas prosas poéticas, em diálogos à Drummond, batendo o Amor à porta da Loucura... Coração na mão, gostei da imagem! Acho que Ele sabe das coisas e sempre se entende bem com o Peito: é só este Peito continuar sabendo viver... Beijão!

Rafael disse...

O ELE é relamente muito mimado, tinha que ter ficado no Peito. Eu adoro peito de frango. É bom. O de peru também.

Nike disse...

Olá minha querida
Estou sumida, mas sempre q posso venho aqui lhe fazer uma visitinha....

um beijão em seu coração!

O Profeta disse...

Corre assombração
Vai para outro mundo numa toada de vento
Afasta de mim este cálice
Deixa-me aprisionar a morte na vida por um momento

Deixa-me sentir com a alegria dos sentidos
Deixa-me acreditar no voo do por-do-sol
Deixa-me beijar as águas de um lago feliz
Deixa-me navegar sem rumo, perder o control



Mágico beijo

Daniel disse...

Tenho a certeza que logo mais, em pouco ou um pouco mais de tempo, talvez, esse peito estará habitado de novo.

Gostei de como falou sobre o assunto.
Beijo

wallace disse...

É engraçado esses blogs que tem música, como este... enquanto eu lia o seu texto, tocava Chico Buarque "João e Maria". E as coisas sempre se complementam! Esse é o poder da arte! Gostei bastante das expressões carregadas de outros sentidos... bj

Alisson da Hora disse...

Pensei que tinha comentado...sou meio demente, principalmente quando fico carregado de trabalho...

Enfim, comentando:

gostei da "fábula"... o Peito sempre adora a ideia do acalanto: o problema é quando o espaço começa a ser um problema... se é que você me entende...

beijos grande, mocinha ;)