segunda-feira, 7 de dezembro de 2009


Trocar as peças desse armário fosco, dessa casa escura, dessa vida turva de olhos meados em lágrimas salgadas demais, por um pouco mais de açúcar. Pra não amargar o afago de alguma boca sincera.

Sair correndo atrás de qualquer folha solta, e arriscar chegar perto de um abismo insólito, só pra sentir o frio na barriga; nunca muito perto, só o suficientemente seguro.

Abismos são traiçoeiros, eles encantam com o seu canto eco, na voz oca dá dúvida, de um possível dar certo...

13 comentários:

Marcelo Mayer disse...

o abismo sempre te chama, e me chama

Quem sou eu? disse...

Os abismos são traiçoeiros, mas necessários. Quem nunca caiu num abismo, não sabe o que é caminhar em solo firme.


Fique em paz*

Katy disse...

Mudanças, aventuras, adrenalina...tudo isso nos fascina, sempre!
Ótima semana!
Beijos, querida!

E.Suruba disse...

são todos traiçoeiros

Canto da Boca disse...

Parece um pensamento alto... Tão alto que após o abismo ainda se escuta o eco. Ou quem sabe planejamento para um outro ano (mais) novo? Qualquer que seja o sunjacente das letras, elas em sua superficialidade (ou na interpretação de quem está do outro lado), são lindas!

Um beijo!

Daniel disse...

Chegar perto do abismo significa arriscar mais nessa vida para ser feliz. E é isso que todos devemos fazer. Valorizar a vida. Arriscar sem medo. E ser feliz.
Gostei da postagem.
Bem otimista.
Beijos

Aninha disse...

EU tb adoro um abismo... Rs

Lindo esse texto, principalemtne a ultima frase !!!!

Um bjao lindaaaaaaaaaaaaaaaa
* amo *

disse...

Os abismos nos deixam tontas quando olhamos pra baixo. Isso é que assusta e encanta. Lindo texto, mocinha.

Bjs pra vc.

Melanie B. disse...

O possível dar certo que decepciona com o tamanho da queda!!
Muito lindo como sempre Érica!!
bajum'

Salve Jorge disse...

Para além de todo lirismo
Eu brinco bem na beirinha do abismo
Prenunciando a vertigem da queda
Convido quem se envereda
Por gostar de voar
Gente apta a se jogar
Que tudo tanto muda
Que não é de qualquer ajuda
Esperar
Melhor esperança
E entrar na dança
Que se a estrada sempre avança
Os volteios são por nossa conta...

Rosa Canela disse...

Encantam e como encantam.. beijos

Rosa Canela

Mariah disse...

asa delta, paraquedas, cavalo-alado...talvez asas! um anjo!

Erica Ferro disse...

Nós vivemos conhecendo abismos, até que um nos encanta e nós nos apaixonamos perdidamente por ele e nós jogamos; outros nos puxam sem permissão mesmo.

Belo seu texto!
Belíssimo seu comentário no meu blog. Fico bem feliz por saber que você gosta do Sacudindo Palavras.
Volte lá, volte sempre.
Um abraço.