sexta-feira, 7 de maio de 2010

Filippe



Do coração apenas caixa,
Lacrada para a dor que sente.
Um pequeno príncipe arteiro,
Brincando de viver.
Só quer um carneiro,
Para comer o espanto
Do seu mundo santo,
Cantado das poesias
Que carrega por dentro;
Toda inquietação,
Sem deixar de sorrir, sequer
Uma luz qualquer
Para o resto do mundo.
Exibe a face de um homem/menino,
Que brinca de ser feliz... Chorando.
Segue o caminho que fez,
Ansioso, para não desaprender
De ser assim: todo canção.

ps. Parabêns, meu bem. Um presente dessa amiga, média, que tu tens. rsrs

12 comentários:

Daniel disse...

Gostei da maneira como quis escrever sobre um homem com o coração de menino. Nas vezes que li algo assim achei que mais parecia algo infantil do que adulto, mas dessa vez foi ao contrário.

Beijos

Dilberto L. Rosa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcel Hartmann disse...

Hmm, passei a acompanhar o teu blog a partir de agora. Parabéns

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Presentear assim é uma grande homenagem.

Texto parecia música.

Obrigado pelos parabéns e palavras, viu.

até mais.

Jota Cê

Filippe Góes disse...

Amiga média???????
Vc é muito mais que completa... é meu complemento!! Te amo e tô muito feliz com essa homenagem, que nem sequer mereço! Beijos meu amor!

Laila Braga disse...

Fofíssimo esse post =]

. fina flor . disse...

ah, que fofo, adorei =]

beijos, querida

MM.

Erica Ferro disse...

Ah... eu quero ganhar de alguém um poema tão belo quanto esse no meu aniversário... =P

Beijo.

José Viana Filho disse...

parabens ao Felipe por ser a inspiração de mais um belo poema seu!!

E parabens pela nova foto que revela cada vez mais a beleza da dona!!

bjs e boa semana

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Érica,

Só sendo uma pessoa muito especial pra ser feita uma homensagem assim.

Parabéns aos dois.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Melanie Brown disse...

E que presente!!!Palavras tua é sempre um grande previlegio!!!!

Salve Jorge disse...

Se ele sabe
Que nem no teu verso cabe
Esse sentimento disperso
Nos recíprocos movimentos
Que deixam o peito imerso
A contento
Não duvida
Que sua sintaxe atrevida
Tem por praxe
Ser a mais bela cor
No encaixe
De todo esse amor...