domingo, 29 de agosto de 2010

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar, na verdade não há...


Sento-me diante do espelho
Com a cara rota
da maquiagem desfeita

Mas não quero me recompor...
Quero tudo como está
pelo menos até amanhã:
deixe que me lave só amanhã

Hoje quero o peso do corpo sujo
e a dor da cara amassada
sobre mim
já que não estás aqui...


"Agimos certo sem querer... Foi só o tempo que errou..." Acho que continua valendo porque continuo te amando...
Só por isso já valeu, né, lindo?!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Triste canção que escrevo pra ti...

ELA, que é dele, adora quando ELE faz com que ELA seja ainda mais...


Escrevo para sentir-te perto
Mas a sede de ti não cessa
E choro sentada diante do mar
O resto do mundo não me interessa...

Escrevo para te tocar
Mas o vinho desce amargo
E nenhum sabor mais faz sentido
O mundo me pesa um fardo...

Escrevo porque te amo
Mas lá fora insiste o chover
E os meus versos molhados
Não deixam o sol nascer,
Não conseguem te trazer
E resistem apenas pelo triste espetáculo
De meu fenecer...

(ELE, como se EU tivesse escrito para ELE...)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

As mudanças e seus planos.

E de repente, tudo mudou. O ócio tão sonhado virou dengue, os filmes a tarde viraram febre, frio e lágrimas. Porém "tudo e a sua hora", alguém já disse um dia, se eu não tivesse saído de lá nunca ia conseguir ficar boa logo. Se bem que não foi muito logo,mais ou menos duas semanas e uma eternidade.

Dormir tarde virou impossível e acordar ao meio dia virou estágio novo, que eu só pego às 9h, mas que pra conseguir isso preciso sair de casa as 8h, e que para tal, acordar às 7h... É... Tá tudo acelerado de novo, mas... É assim mesmo. O mundo e os dias, o tempo se movimentando, e a gente nele só esperando. Um dia vai parar mesmo, quando isso acontecer, ai eu descanso.