quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ela não tinha vesícula

Se joga na vida, minha filha... Beber, fumar...E é isso.

Faz tempo que ela oscila, mas quando é namorada quer ser isso e pronto. Todo resto para segundo plano. E talvez o sentimento não seja tão grande assim que mereça tamanha inclinação, porém não tem como ser de outro jeito senão não é ela, ué!

Tem dias que sente uma vontade doida de dançar, mas como poderia se ela não sabe? Às vezes, meio sem jeito, ela rebola, vai dobrando o corpo pra frente e os joelhos fazem o serviço sujo dos quadris. Quando não, coloca as mãos na cintura e ai sim, ela roda num giro perfeito de 360 graus, sem sair do lugar.

Foi mãe ainda cedo, e depois filha para cuidar da mãe que estava de partida. Cuidou das feridas do coração que o tempo ingrato não levou, cobriu de flores os últimos dias. Flores e carnaval. Guardou todo conflito e trocou cumplicidade feito figurinha... Até o final. Quando ele chegou (o final) ela já sabia.

É mulher que bebe, que fuma, e que se agarra ao mar. É mulher que deita na areia com o corpo molhado e se mistura aos grãos. É mulher que sabe ser amiga, sabe abraçar, sabe dizer que ama... E não sabe mentir, porém sempre sorri se você olha pra ela, como se fosse um contato, uma forma de concordar com qualquer coisa ainda que não seja verdade, nem mentira, nem seja coisa propriamente. Não faz sentido, até você passar pela experiência... Eu não saberia descrever.

Vinícios a descreveria como aquela que tem a qualquer coisa que sofre, que chora, que sente saudade, sendo o adicional a beleza indiscutível que os olhos dela transborda. Ela sabe tanta coisa que eu ainda não sei, eu sei milhões das coisas que ela mais gosta. Sou feliz por tê-la perto o suficiente, e mais ainda em dividir alguns dias,algumas noites, algumas lágrimas e muitos (milhares) de sorrisos e depressões.

15 comentários:

paula disse...

Amiga, que texto lindo! Mas ó, esse personagem é bem estranho, n é? ;)

Dilberto L. Rosa disse...

Talvez, se eu soubesse de quem estavas falando, ficasse mais fácil comentar... Mas como ela parece uma mulher tão grande e cheia de vida e poesia (e um bocado parecida contigo), já dá para admirar! Belo texto! Abraço! E vê se volta a comentar (senão não volto mais!)!

mARa disse...

Ela é simplesmente Mulher e tem coragem e isso a torna LInda, de fases, complicada e perfeitinha...

Texto Lindo! Amei!

Beijo!

Fabricante de Sonhos disse...

Aiiiiiiiiiiii que saudade eu estava daqui!
Alma lavada!
Reconhecimento em fragmentos do seu texto...
Sou dessas que bebe, que fuma e que não sabe dançar...

Sou dessas que acorda todo dia se perguntando quem é...

Sou dessas que te admira tanto, e que tanto ama te ler!

Mais um texto fascinante! (E eu não esperava menos!)

Beijos mágicos!
Fabricante de Sonhos
(Twitter: @millaborges)

Cadinho RoCo disse...

É sempre bom ter alguém, de verdade, por perto.
Cadinho RoCo

Salve Jorge disse...

Ele tanto tinha
Que conforme caminha
Certas coisas não tem
Veja bem
Ela se joga
Tanto se afoga
Quanto avoa
Ressoa
Multiplicidade de pessoa
Destoa
Desse tanto de droga
E sou dos que roga
Por ela
Aquarela
E num guenta ficar sem
Todo refém
Dessa dança
De moça singela
De joelho e quadril
Que tudo balança
Auspícios de criança
De fazer um doido febril
Ter esperança
Nas graças da mulher
E suas flores de abril
De quem com assovio
Canta o que vier
Janta o que puder
E bebe
E fuma
Se apruma
E abraça
Se embaraça
Forte que nem cachaça
Experimental na graça
Suave como soprar o rosto suado na cama
Dama e drama
A um erro de distância...

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

É o tipo de mulher que sabe o que quer... e vai... sempre vai... nunca volta...

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

José Viana Filho disse...

MAIS UM BELO TEXTO SEU...PARABENS!!!

Quanto ao Rio, se vieres de fato, me avisa...

Sou um excelente guia turístico e te apresentarei, junto com minha esposa, as areas poeticas e boemias da cidade.

me manda um email : josevianafilho@gmail.com, q respondo com os meus telefones!!

abs!! E continue escrevendo com essa furia!!!

Canto da Boca disse...

Interessante, certa feita, perguntaram à minha filha o que ela seria quando crescesse, respondeu sem titubear: "vou ser que nem meu pai, beber, fumar e dirigir" - escutou isso em algum lugar -. Mas o que me parece é que essa mulher, é uma grande (e sofrida guerreira) mulher, como tantas que sabemos, somos e existem nesse mundão afora...

Ei, moça, e o que dizer de você? Quanto ao Samarone, dispensamos qualquer comentário, o cara sabe, e sabe que sabe, mas nem liga pra isso... Risos.

Um beijão!!
;)

Melanie Brown disse...

Que mulherão!!!!!!!!!!!!!

Poxa vida Érica, saudades! Mania feia essa sua de cativar e fugir (espero estar enganada, rs), sinto falta das nossas conversas, é chato nós termos nos add nos respectivos msn's e pouquissimo nos encontrarmos, mas eu espero! rs. Eu poderia dizer muito deste texto que li, mas minha prioridade neste comentario é reclamar de tua ausencia!

Abraçao, esteja muito bem!!

Ludmila Melgaço disse...

Sejamos!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Venho rapidamente deixar um beijo com cheiro de mar e dizer que se pudesse, daria um abraço bem apertado com o vento trazendo o cheiro desse encanto que é a blogosfera e a essência que se aloja sempre nessas palavras tão carinhosas.

Estamos corridos, mas o beijo jogado no ar tem que chegar vexado no seu coração.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca


-

D.Ramírez disse...

milhares de muitas assim.
Muito bom !!!! intenso..
besos

olhar disse...

Que lindo o que escreveu ....e como escreveu e descreveu...

ela é o máximo...pois é simplesmente ELA...

Parabéns, garota linda!

Um beijo estalado no seu coração!

Bia

Gabi disse...

Caraca, gostei dela, estranha, mas gente fina. Deu vontade de sair com ela pra dançar! haha