sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ele sabe...

Sei de você
Acabei sabendo muito mais
Do que deveria saber
Sou íntimo da tua canção
E falo, na hora que der,
Direto ao teu coração
Sem ninguém mais saber
Além de nós dois...

Acabou sendo assim:
Sabes de mim
E do quanto eu sei do mar
- Cale-te agora:
Dancemos lá fora
Com o resto cá dentro
Impaciente
A esperar...

Diabolices, menina,
Diabolices
De um mundo que se quer,
Mas sem exação...
E fica assim, à deriva,
Nesse rodopio sem sentido
Ao léu, sem chão,
Suspenso,
Num suspense sem fim...

Mas tua nudez não castigo:
Antes guardo na primeira nuvem
Comigo e com toda a ilusão
A que nós temos direito
Neste mundo imperfeito
E sem razão...

(ELE)

15 comentários:

Marco disse...

Sempre que venho aqui, leio poemas e textos da melhor qualidade. Você escreve MUITO bem, querida Érica. Parabéns. Voc~e tem imagens admiráveis.
Carpe diem. Aproveite o dia e a vida.

Salve Jorge disse...

Ele sabe
Que nesse mundo não cabes
Você
E querendo não estar à mercê
Que ele se vê
Nesse mundo indefinido
Perdido
De cada poderia ter sido
Despido
Durante a dança
Entre o olhar e o mar
Ah, mar
Que se há mar
Ao mar então
Mesmo sem chão
Sem ar
Sem par
Sem razão...

Dilberto L. Rosa disse...

Muito bacana a sonoridade e o ritmo, como num bailar suspenso... Mais bacana ainda esse lance dEle e dEla de vocês dois: parecem toalhinhas bordadas e milimetricamente ajustadas num banheiro secreto e perdido no tempo! Beijão!

Rafael disse...

Minha nudez é ótima... bom, eu acho.
:P
bjs

tossan® disse...

Dizer que é lindo é pouco. Beijo

Marcio Nicolau disse...

Érica,

gostei muito da poesia.

Te sigo.

Daniel disse...

Érica.
Achei bem interessante, mas tenho certeza que por essas linhas tem muito mais sobre você do que conseguiremos entender.

Gosto das coisas assim.
Beijos

Grafite disse...

que palavras mais perfeitas!
simplesmente amei e me faltam palavras para descrever...=)

beiijo
*.*

Dilberto L. Rosa disse...

Que confusão! Mas afinal, foste tu ou foi ELE quem fez estes versos? Ou vocês já são um amálgama de psicografia ambulante?! Abração!

Érica disse...

Somos um amálgama de psicografia ambulante.

Érica disse...

Mas foi ELE que fez.

José Viana Filho disse...

ele sabe das coisas... muito bonito o poema...

E se te define, parabens, vc deve ser uma mulher cheia de musica e beleza!!

Ele esta de parabens pela musicalidade e vc pro ser a musa dele!!

abs e se vier ao rio avisa!!

Tarcísio Buenas. disse...

bacana voltar ao seu espaço...

bj

meus instantes e momentos disse...

Essa é a Erica....

Lia Drumond disse...

Muita arte, muita verve...