quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Rebobine, por favor...


É essa correria do mundo real, milhas e milhas do virtual, que deixa tudo assim tão áspero, sabe? Só isso, garanto... Quisera que fosse só isso...

Acho que queria ver um filme, mas ando meio sem tempo para qualquer coisa; afinal, você levou todos os melhores! Parece que me levou até todos os ais, porque sinto mesmo xoxos os meus velhos carnavais e com páginas em branco os meus cadernos de poesia... Melancolia pura... Volta essa fita, que eu quero rememorar aquela canção... Qual é mesmo o nome dela?

Rebobina pra mim, que eu não quero pagar multa na hora de devolver, amor, e, pra falar a verdade... Também queria muito rever esse nosso filme... Pelo menos mais uma vez antes de a locadora fechar...

Por amor, por favor... Rebobine...

Lola

Sabia
Gosto de você chegar assim
Arrancando páginas dentro de mim
Desde o primeiro dia

Sabia
Me apagando filmes geniais
Rebobinando o século
Meus velhos carnavais
Minha melancolia

Sabia
Que você ia trazer seus instrumentos
E invadir minha cabeça
Onde um dia tocava uma orquestra
Pra companhia dançar

Sabia
Que ia acontecer você, um dia
E claro que já não me valeria nada
Tudo o que eu sabia
Um dia

Chico Buarque de Holanda

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Desencontro


Luais de sol queimando o juízo,
anda, anda, anda,
volta, volta, volta...
Assim todos os dias seguem,
e apenas seguem por serem
assim... Tempo também.
Um tempo perdido
se concentra e vira
anjo tocador.
Os olhos cerram
em sono quase profundo e
a música ninguém entende nada.
Sentimentos passam
antes mesmo de se tornarem
ilusão, antes mesmo de criar
gosto na língua e conforto aos pés.
Não há concordância entre os corações.

"eu não fui esperando que você voltasse,
eu fui acreditando nos seus braços em minha chegada.
meu tempo certo passou, e eu cruzei sozinha
sua linha de chegada".