sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Desencontro


Luais de sol queimando o juízo,
anda, anda, anda,
volta, volta, volta...
Assim todos os dias seguem,
e apenas seguem por serem
assim... Tempo também.
Um tempo perdido
se concentra e vira
anjo tocador.
Os olhos cerram
em sono quase profundo e
a música ninguém entende nada.
Sentimentos passam
antes mesmo de se tornarem
ilusão, antes mesmo de criar
gosto na língua e conforto aos pés.
Não há concordância entre os corações.

"eu não fui esperando que você voltasse,
eu fui acreditando nos seus braços em minha chegada.
meu tempo certo passou, e eu cruzei sozinha
sua linha de chegada".

20 comentários:

meus instantes e momentos disse...

saudades de ti menina Erica,
bjs pra vc
apareça ou reapareça...

Rosemildo Sales Furtado disse...

Eis que a boa filha volta ao lar. O melhor é que volta trazendo um belo poema. Parabéns!

Aguardo uma visita, pois no Arte & Emoções será sempre bem-vinda.

Beijos e ótimo sábado pra ti e para os teus.

Furtado.

Cadinho RoCo disse...

Mas qual, ou o que é mesmo o tempo certo?
Cadinho RoCo

Mr.Orange disse...

A chegada solitária a um porto que achamos ter uma festa a nossa espera, é quase sempre dolorida.
Ótimo texto! Poema sincero e direto! Parabéns pelo trabalho!
Quando puder, entre no
http://queletra.blogspot.com/
Uma nova parceria seria muito bem vinda!
Bjs!

A Magia da Noite disse...

às vezes caminhamos em tempos diferentes, estamos no mesmo lugar, mas nem sempre na hora certa.

Rafael disse...

Os pés tornaram os corações luais
E a música da ilusão concentrou
O juízo profundo da língua
Nos braços da linha de chegada

Rafael disse...

Meu coment foi??

Fabrício disse...

Não se me pareceu expectativa frustrada... mas, todo desencontro o é, correto?

Gostei como arruma seus versos e essa saudade que ficou 'impregnada' nesse poema.


Um abraço

Tiago Moralles disse...

Os corações concordam com o tempo verbal do amor.

José Henrique disse...

Assim como Cabral zarpou pras Índias e acabou ancorando por essas plagas, fui navegando e caí aqui.
Gostei da densidade da coisa, menina bonita.
Vou voltar.

FERNANDO COSTA disse...

ENTENDO BEM,DIGO A MINHA MANEIRA...

CRUZAR "TANTOS" E CHEGAR ALÉM E LÁ ESTANDO? NEM SEMPRE ENCONTRANDO O TAL ABRAÇO.

ÉÉÉ, CONHEÇO BEM E A MINHA MANEIRA...

REPITO: ACREDITAR QUE CHEGAMOS É QUASE UM ÓPIO ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO, FRUTO DA IMAGINAÇÃO QUE LEVO OU QUE GUARDO.

BEIJAO ERIKA - CUIDE-SE BEM.

Fabricante de Sonhos disse...

Encontros e desencontros...
Idas e vindas, do amor...

Me encontro nas tuas palavras, escritora...
Encantada. Como sempre!

Beijo mágico!
Fabricante de Sonhos

Canto da Boca disse...

Erica, o que seria um tempo não perdido, ou, ganhado??

Deixo-te beijinhos!!

Erica Ferro disse...

"Não há concordância entre os corações". Às vezes fico pensando se isso é bom ou ruim.

Poesia isso que tu faz, Erica.
=*

tossan® disse...

Muito bonito Erica. Beijo

Léo Santos disse...

Inteligência pura, em forma de versos! Manifestação do que tens internamente! Muito bom! Adorei te ler!

Um abraço!

Alê Quites disse...

com cor de desilusão.
BeijOS

José Viana Filho disse...

Belo poema ERICA, ao som de o vento do meu idolo Marcelo Camelo.

Os olhos cerram em sono quase profundo e a musica ninguem entende nada...

genial

boa semana!!

Jota Effe Esse disse...

O tempo passa, mas o amor não. Meu abraço.

Ego. disse...

E nesse vai e vem,
a gente se perde, a gente se acha!!!

Bjo.