quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Rebobine, por favor...


É essa correria do mundo real, milhas e milhas do virtual, que deixa tudo assim tão áspero, sabe? Só isso, garanto... Quisera que fosse só isso...

Acho que queria ver um filme, mas ando meio sem tempo para qualquer coisa; afinal, você levou todos os melhores! Parece que me levou até todos os ais, porque sinto mesmo xoxos os meus velhos carnavais e com páginas em branco os meus cadernos de poesia... Melancolia pura... Volta essa fita, que eu quero rememorar aquela canção... Qual é mesmo o nome dela?

Rebobina pra mim, que eu não quero pagar multa na hora de devolver, amor, e, pra falar a verdade... Também queria muito rever esse nosso filme... Pelo menos mais uma vez antes de a locadora fechar...

Por amor, por favor... Rebobine...

Lola

Sabia
Gosto de você chegar assim
Arrancando páginas dentro de mim
Desde o primeiro dia

Sabia
Me apagando filmes geniais
Rebobinando o século
Meus velhos carnavais
Minha melancolia

Sabia
Que você ia trazer seus instrumentos
E invadir minha cabeça
Onde um dia tocava uma orquestra
Pra companhia dançar

Sabia
Que ia acontecer você, um dia
E claro que já não me valeria nada
Tudo o que eu sabia
Um dia

Chico Buarque de Holanda

8 comentários:

On The Rocks disse...

bateu saudade das minhas fitas!

rs

:)

bj

p.s: saudade dos nossos papos também.

FERNANDO COSTA disse...

De uma leveza ímpar - de uma vontade plural - de um diz tanto em tão pouco - de um d e m a i s e de loucos -

E eu já sabia ! ! !

Beijo Enorme - Fê.

AH! Com a tua permissão vou "poemar" ouvindo este som e vou roubá-lo por um instante e vou postá-lo no meu cantinho(Se vc me permitir é claro)

Eu nao sei porque mais este som me remete a mulheres...Vou tentar transpor em palavras. Beijao Pra Ti.

FERNANDO COSTA disse...

Depois Que Chico Eu Ouvi !

Gaya que é toda alegria
Tem pena de Aninha que a noite se esmera
A espera de um verso enfeitado e por ela
Das mãos do poeta nascido em mim

Tão bela – O canto de Erika Colado ao meu rosto
Bebendo inquieta um passado sem fim
Nunca soube de fato que Nanda era aquela
A mulher das mais belas nas fotos que vi

E assim – Sem saber o que disse a Mina Do Cara
Se Sarah guardava os perfumes de Lara
Ou Vanessa quem ama, mais é Censurada
Como o Canto Da Boca por um beijo a pedir [ e sem fim ! ]

E Ai ? E ai eu vou indo levar-te o Soneto
Porque sonho e desejo é tão bom de sentir...

Dedicado A Minha Querida Erika Colaço E Suas Seguidoras
Ao Som De Chico – Lola.

mARa disse...

...palavras perfeitas...queria ter escrito isso...

Rebobine nosso tempo!

bjo!

Sarah Slowaska disse...

Saudades das fitas, do Chico e de você!

Dilberto L. Rosa disse...

Perfeito casamento entre a prosa poética, suas imagens e a sempre bela e perfeita Música do Mestre Chico... Rebobinemos sempre, porque é sempre bom voltar - e voltar e voltar para rever sem automatismos: com demora e paciência de esperar a fita ser recarregada... E a vida, novamente preenchida de surpresas! Abração, linda postagem!

coffee-break disse...

Ótima a proposta desse blog!

Frustração é o que não falta... sobra então o bom humor no meio disso tudo!

Abçs

coffee-break disse...

Putz, troquei os comentários dos blogs :x

Adoro chico!!!