quinta-feira, 11 de agosto de 2011


Sete dias... Passam.
E mais sete surgem no momento que pisco.
Desses sete quatro vezes... Um mês.
Que eu guardo em algum lugar dessa história,
Que alguém conta sobre “Eu”;
“Eu” dorme; “Eu” acorda; “Eu” come;
“Eu” bebe; “Eu” fala verdades;
“Eu” também fala inverdades...
“Eu” não faz nada demais,
Mas pensa como ninguém
E deseja como todo mundo,
Ser mais que coadjuvante dessa história
Onde as falas só valem quando são ditas,
Mas morrem quando pensadas...
Que nem o dono daquela empresa,
Rico qual todos invejam e vai morrer,
Assassinado na novela.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Cultura Online

Novo Blog ligado a Fundação Joaquim Nabuco no Recife. Não deixem de conhecer.

http://culturaonlinecultura.blogspot.com/


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Eu quero ser Gullar

As 4:30h eu abro os olhos...
O escuro do fim da madrugada
Anuncia o dia que se prepara.
Mexo meu corpo no corpo da cama,
Sinto frio no momento que encosto no vazio
Desse corpo que me ampara.
Assim permaneço, até os primeiros raios
Surgirem tímidos por entre as frestas.
O último segundo antes de os medos se instalarem
Na minha mente cheia de dias... E noites insones!