sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Eu quero ser Gullar

As 4:30h eu abro os olhos...
O escuro do fim da madrugada
Anuncia o dia que se prepara.
Mexo meu corpo no corpo da cama,
Sinto frio no momento que encosto no vazio
Desse corpo que me ampara.
Assim permaneço, até os primeiros raios
Surgirem tímidos por entre as frestas.
O último segundo antes de os medos se instalarem
Na minha mente cheia de dias... E noites insones!

2 comentários:

Eu disse...

Gullar é mesmo maravilhoso e você, inspirada por ele, também! Mas seja Érica, mesmo, por favor - e ninguém mais! Beijão!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Érica! Passando para me deliciar com a leitura de mais uma das tuas criações, e dizer que adorei, pequeno na estrutura, porém, gigante na profundidade.

Aproveito a oportunidade para te comunicar a criação do nosso novo espaço: “Literatura & Companhia Ilimitada” http://literaturacompanhiailimitada.blogspot.com/ , (ainda em formação, mas, já com as primeiras postagens) criado com o objetivo de ampliar à divulgação da História da Literatura Mundial e de tudo aquilo que venha contribuir para o crescimento cultural daqueles que o desejarem, assim como, acrescentar mais uma fonte de pesquisas.

Ficaríamos muito felizes e agradecidos de poder contar com a tua visita e, se possível, sermos agraciados com a tua opinião/sugestão, pois, a continuidade ou a solução de continuidade do mesmo dependerá do parecer daqueles que por lá passarem honrando-nos com a visita.

Beijos, ótimo final de semana, e que DEUS nos abençoe.

Furtado.